pergola canalfotofotofototopopinacotecaorquidarioorqemissariootakeleaobolsaingacopa

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 2.7/5 (1772 votos)




ONLINE
2





--------------------------------

Visitantes até o momento:


Segundo Ato
Segundo Ato



 

tit

(Segundo Ato)

A mesa do casarão tornara-se um forum de discussão de idéias, notícias, acontecimentos, pessoas, causas e pessoas que causavam.

nota 08

Baixe aqui a reportagem completa da revista com texto e fotos---------------------> Realidade 28


Gente, como voces podem respirar ? Todas as janelas fechadas e o cheiro de fumo por toda a parte! (L)

O Lelo trabalhava a noite e sempre chegava tarde, reclamando da fumaça de cigarro que inundava a sala e embora tivesse tentado a aprender a fumar a verdade é que nunca o conseguiu. A  bronca no irmão e colegas fazia parte do seu ritual de chegada.

 Lelo sempre foi uma pessoa simpática e não se estressava tanto como o irmão. Almejava o curso de Engenharia pois trabalhara numa petroquímica, mas não tinha uma pretensão obstinada pela Politécnica e o trabalho lhe permitira fazer uma economia para os dias difíceis. Tinha porém uma certa mágoa e não acreditava muito na Engenharia como algo que pudesse ser motivo de satisfação e orgulho Vi muita gente honesta e confiável ser passada para trás e dizer que a grande desilusão de suas vidas era a de terem se tornado engenheiros.

A discussão podia se prolongar acalorada por horas após o cursinho pelas ruas, bares e seguir madrugada afora. É natural no ser humano tentar mudar as pessoas e não aceita-las como elas são sem nada fazer. Infelizmente ainda eram todos jovens demais para saber disto.

Cleidimir e Lelo eram amigos de longa data. A Terceira Irmã costumava comentar jocosamente que os dois saiam sempre juntos e até nos fins de semana Lelo ficava numa grande agitaçãp: "Cleidimir já vai chegar...". Pareciam até namorados ! Cleidimir entretanto era muito diferente. Lelo contou que Cleidimir nunca lera um livro. Não se interessava, achava uma perda de tempo. Era uma idéia e um comportamento que me  inspirava mais pena do que horror. Cleidimir tinha uma namorada  com menos da metade do seu tamanho e que enrrolava a muitos anos, conhecia bem de cozinha e costura e via Cleidimir logo abaixo de Deus. Coisas da época. Cleivone era a irmã de Cleidimir, alta, avantajada e elétrica, o oposto do irmão molambo. Acho que o Neco tinha uma certa inclinação para este lado comunicativo que ele não tonha.

nota 01

 

  baixar

 


 

 

 

 vejasigfradimfradim2realidade 10

 

nota 02

Claudinho morava num prédio pequeno de tres andares, muito comum para a época A sua mãe era uma senhora simpática e chamava-se Isabel como a mãe dox irmãos e das cinco irmãs. Um apartamento situado perto da linha do trem que corria paralelo a Av. Afonso Pena. O pai tinha uma pequena lojinha que vendia sapatos e creio que eram gente simples sem vastos recursos. Certamente deu-se bem com Lelo por seu modo franco e risonho. Numca discutia ou brigava. B e a Terceira Irmã gostavam muito dele.Cláudio tinha um irmão mais novo que apenas cursava o colégio


 E tu Claudinho ? Com certeza vai casar com uma carioca ! O Claudinho foi pego a queima-roupa, ou mrlhor pela afirmação do Neco ! Claudinho, justo ele que nunca hvia aparecido com uma namorada. Entretanto como estavamos na mesa das filosofias a pergunta era pertinente.

Quem pode saber Maneco ? Estas coisas nimguem planeja ! Era interessante que mesmo tendo o  pensamento  do modo que era ainda se falasse do casamento como um objetivo pertinente, com tudo passando pelo noivado e coisas assim...

Uma coisa é certa, tu podes escrever. Quando eu casar esta mesa é minha! Vou levar esta mesa para minha sala !

 O Pasquim anunciava a mancheta com a entrevista de Leila e em duas páginas internas Sigmund dizia apenas uma palavra :PUTZ. Claudinho chorava de rir... Eu não auguento esse jornal!(C)

 Caminhavamos pela avenida e era a madrugada de 26 de julho de 69. A Lua era de uma imensa claridade no céu e nem nuvens haviam. Caminhavamos Claudinho e eu sem temor ou medo pela tranquilidade santista, quando ele paou, olhou o céu e disse : -Pois é, até tu já conquistaram...Sorri intimamente pois compreendi naquele breve instante que não era o único a pensar assim. Talvez a Lua estivesse mais ao alcance do que B.

As vezes entretanto Cláudio saia um pouco de sua casca e mostrava seu lado cômico como daquela vez : -Agora vou recalcar voces, moro com 40 homens...Claudinho e Lelo moravam no dormitório e alojamento da Escola Nacional de Química no Rio. Foi lá que conheceram Jean-Marc lider dos estuHdantes nas organizações estudantis cariocas, bem como Vladimir Palmeira. Houve até aquele caso que um de seus colegas confundido com um segurança de Jean-Marc que teve uma tentativa de afogamento pelo CCC.

 Casos que afligiam e tiravam o sossego de Dª Isabel que entretanto apesar da pouxa instrução encarava tudo numa boa, uma verdadeira guerreira, que tiinha suas idéias. Certa ocasião ela disse: acho que B é a mais certa de todos voces. Vai cuidar de quem não tá bom da cabeça. O auto-conhecimento, a grande procura de todas as indagações que ninguem tinha e todos buscavam na nossa América, na India, em toda parte. Toda parte onde houvesse jovens-acho que nem quando eramos jovens, nós fomos tão jovens.

 Taí, comprei os homens...Claudinho agitava o LP do Album Branco satisfeito em mostra-lo.Estavamos todos lá: Lelo, Neco, B, a Terceira Irmã e R. A Terceira Irmã estava sempre junto a nós desde sua separação. Olhavamos para o album duplo que vinha acompanhado por fotos e posters alem das letras. O Lelo achou de um pouco mau gosto aquele exibisionismo em fotos, uma prática que se tornaria comum alguns anos depois. Neco lembrou alguns comentários do JT que ouvira do Gustão também um cultivador do clássico e dos Beatles-de um dos lados do disco fora feito um resumo de diversos ritmos do século. Neco lembrou ainda o polêmico rumor sobre o caso da lenda sobre a morte de Paul, forjada no Sgt.Peppers. Estavamos ali na verdade vivendo a história e creio que Neco tinha razão em afirmar que se passariam 100 anos antes que surgisse outra banda e outros músicos como eles.

 O Neco tinha uma velha elrtrola, acho que era esse o nome, onde ouviamos principalmente LPs e discos single de dois lados. As pilhas de discos as vezes se acumulavam pela sala e também as vezes o Neco carregava a eletrola para ouvir no quarto pelo andar superior em meio a noite. O som de The Beatles, Fifth Dimension, Roberto Carlos nos transportava e levava para muito além de onde não sonhavamos ir. Estavamos na Era de Aquário e se em Hair se dansava nú  na chegada do sol, em Roda Viva o sistema  digeria ao ídolo e expunha toda a contradição e a corrupção  da falta da liberdade. 

 Apesar de um crítico ferrenho do sistema e leitor incansável de clássicos e leituras ideológicas na hora do cansaço Neco trocava Andre Gidet, Marcuse e Lenin por uma pilha de Grande Hotel e Romance Moderno a fábrica de histórias da "Rio Pornográfica Editora" como chamava O Pasquim. Afinal, que importância havia de se gostar de fotonovelas? Mão estão longe da tv por assinatura.

 Não sei se acredito ou não em alguma coisa. Acho que só meu irmão acredita na mesma merda do que eu. (N)

Galeria (Veja galeria de imagens 1)

Era realmente difícel B ir a festas B e R não estiveram em nenhuma festa ou em algum baile juntos. A balada não era uma instituição. Talvez B fosse tímida, mas não quizesse ser tímida. Quem a visse saindo a noite com alguma amiga usando o casaco do irmão, não poderia deixar de enxergar B como alguem especial.

A rotina de estudar pelas madrugadas trazia a fome e era um costume a compra de pão que depois era recheado de ovos fritos pelo lanche noturno. O café era consumido por toda a noite e foram inúmeras vezes que se repetiu isto. O Neco era bem resolvido na cozinha. Nem sempre o Cláudio acompanhava e raras vezes B acompanhava.

 A separação da Terceira Irmã ocorreu nesta ocasião. Devo dizer que não era umTerceira Irmã. fato digamos aceitavel plenamente, pois a separação não era ainda um fato incorporado  a regrasocialmente, mas afinal quem precidava ou devia dar satisfações de alguma coisa ? O evento gerava discussões e controvérsias e era objeto de pesquisa e documentação de Realidade e outras revistas e estigmatizado como um tabu pela ditadura militar. Nós não éramos excessões a não ser quando colocados diante do fato consumado, como agora acontecia com a Terceira Irmã. O Neco não aceitou o fato tranquilamente e passava horas deitado no seu quarto, dizendo que infelizmente iriam precisar de uma nova cama ali. Trancou-se em um certo mutismo e só tempos depois conseguia tocar no assunto sem mencionar motivos e detalhes. Apenas Claudinho conversara com o Lelo e sabia vagamente de golpes financeiros aplicados por aquele gordinho com cara de Zé Vasconcelos na Terceira Irmã desavisada. A mesma recuperou-se do revés passado e daquele momento em diante se dedicaria a dar um novo rumo a sua vida. Era sobretudo o pensamento social, pouco condescendente e discriminatório contra a mulher só que ocorria mesmo entre os jovens. Até mesmo revistas femininas e a mídia pouco tocavam no assunto tabu, nem mesmo conhecidas psicólogas de almanaque se atreviam a incursionar no mesmo.

 


 

  Galeria (Veja galeria de imagens 2)

O cinema se constituia realmente em um grupo. Uma igrejinha, uma patota que se reunia para nota 17participar do grande exercício intelectual. Quase um ritual que podia ser até um divertimento. Lelo, Neco, Claudinho, R, B, a Terceira Irmã e muitalideres vezes alguns agregados se juntavam à xuldra ignóbil de pré-universitários. Havia o Gugu e a irmã do Gugu que sempre tentava desculpar o Gugu por estar acompanhado pela irmã dizendo que ela é que pedia para ir ao cinema. Havia Valter, Emília, José Geraldo o portuga intelectual e Eliana, uma reunião que podia até terminar numa pizza se não fosse um grupo tão duro. Nem sempre as sessões eram a de cinema dito de arte exibida a meia-noite.

 Mesmo estudando desesperadamente o cinema era válvula de escape, talvez única, fábrica de sonhos e o anti-climax do intelectualismo universitário.

Voces deviam ter visto esse tal de Roni Von cantando!Um escândalo balançando o cabelo artistasdesse jeito.(L) È todo mundo rapaz, é esse surfista, esse tal de Arduíno que é só cabelo, é o Roberto Carlos, tá tudo virado da cabeça ! Voce tá revoltado Lelo.  Eles são dos nossos. Eu gosto até da Martinha, "o queijinho de Minas", do "Tremendão" dizia o Claudinho para provocar o Lelo.

A lista de filmes vistos foi grande e diversificada, mas sempre de um conteúdo inteligente e polemico. Não será possível lembrar de todos e citaremos aqui tudo o que pode ser lembrado. Filmes que fizeram parte de nossa cabeça e de nossas emoções, acho que o mais importante é que nós os vimos e que eles nos disseram alguma coisa. A lição de casa foi feita. Não os esqueceremos acho

o fato é que ele é jornalista e ela é amante dele. Ele trai a mulher e trai assim porque trai entende...não é porque não goste dela. Mostra muito do mundo atual. Candice está linda como sempre. Um espetáculo.(C comentando Vivre pour vivre).....

É, a história é sobre alguém ... um mensageiro desconhecido. Primeiro ele seduz e dorme com o pai. Depois seduz e dorme com a mãe e por último seduz e dorme com o filho.... (C  falando de Teorema)

Na verdade acho um simbolismo da comunhão da igreja e eles entenderam muito bem, tanto que criticaram o filme.(N))

Tealmente não entendi nada dessa história, a possessão dos demônios, exorcismo, todas aquelas freiras.....vocês entenderam alguma coisa ? (C) Eu entendi, acho que na minha concepção tudo aquilo esta simbolizando e mostrando uma luta do bem contra o mal (L) Não acredito, não acredito.....não vi nada disso.(Sobre Madre Joana dos Anjos)

......Um homem e uma mulher ? Lelouch é especialista em tornar as pílulas douradas para que a gente as engula...parecem filmes do jean Manzon ! (N)

.....Voces sabem que ao ver aquele nu em cima da cama, eu até me enganei ? Pensei que fosse a Julieta e era o Romeu, veja só.....(C sobre Romeu e Julieta)

O Grupo é uma verdadeira sessão de psicanálise...Só A Candice já vale ver o filme (R)

Queimada é uma lição de história! (N)

Acho que se houvesse uns 10 como o Thomas Morus, o Brasil estaria muito melhor. Não que eu concorde integralmente com ele......é a maneira como ele defende a idéia dele...(Lsobre O Homem que não vendeu sua alma)

A Confissão é um libelo e uma lição sobre o mal de todas as ditaduras (N)

Sem destino foi um filme que meu colega assistiu 7 vezes, pode? Elr sabe até de detalhes que nem reparei...na laje na cena do cemitério está escrito "Se Deus não existisse seria preciso inventa-lo"  (B)

Acho que aquele comportamento do indivíduo, prendendo a moça é uma loucura. O Terence Stamp é alguem completamente louco. (B sobre o colecionador)

Acho que Privilégio mostra bem a fabricação de um ídolo e a sua manipulação pela igreja. O Steve Shorter tem até um gesto igual ao do Roberto Carlos.

titulo 3

Barbarella (1968) Ardil 22 (1970) Privilégio (1967) Alfie (1966) Todas as noites ás 9 ( 1967) Madre joana dos Anjos (1961) Viver por viver (1967) Um homem e uma mulher (1966) Grand Prix (1966) Romeu e Julieta (1968) O grupo (1966) Blow up (1966) Queimada (1969) Farenheit 451 (1966) A confissão (1970) Sem destino (1969) 2001 Uma odisséia no espaço (1968) Esse mundo é dos loucos (1966) O homem que não vendeu sua alma (1966) Les parapluies de Cherbourg (1964) Quando os peixes sairam dagua (1967) O ato final (1970) A religiosa (1966) A chinesa (1967) Teorema (1968) Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita (1970) O Canhoneiro do Yang-Tse (1966) Trens estreitamente vigiados (1966) A bela da tarde (1967) M*A*S*H (Robert Altman) (1970) Butch Cassidy (George Roy Hill) (1969) A Primeira Noite de um Homem (Mike Nichols)(1967) Terra em Transe (Glauber Rocha)(1967) O justiceiro (1967) Garota de Ipanema (Eduardo Coutinho e V.Morais) (1967) Perdidos na Noite (John Schlesinger) (1969) O Colecionador

sino

topo